Estiagem: desafio de todos nós!

Infelizmente, a estiagem e a seca são problemas recorrentes em Herval. Um cenário sabido por todos nós que acarreta prejuízos milionários ao setor agropecuário e aos produtores rurais, provoca perdas enormes nos cofres públicos e impacta de modo negativo toda a economia local. Qual a causa desse problema? Diante disso, o que produtores e o poder público podem fazer? Quais são algumas das inciativas concretas em âmbito local, executadas para enfrentar esse fenômeno natural adverso, seja de forma emergencial, mas também em caráter estrutural?

De acordo com especialistas, estamos situados numa região considerada um deserto verde, onde as chuvas acontecem com uma certa abundância, porém estão cada vez mais concentradas nas estações mais frias do ano, diminuindo ou até faltando durante o verão. Hervalenses mais “antigos” alegam que a escassez de chuvas no verão é algo que nos acompanha há bastante tempo, não sendo exatamente um fenômeno novo.

Não quero entrar no mérito da questão, mas não precisa ser “das antigas” nem especialista para notar que o clima mudou e ciclo da estiagem ou da seca está cada vez mais reduzido em nosso município. Ou seja, tal fenômeno que antes ocorria de tempos em tempos, ultimamente se repete quase que todos os anos e tende a registrar uma duração ou intensidade maior. Seria um efeito do aquecimento global? Teria alguma relação com a mudança do perfil produtivo do município, com a introdução nos últimos anos de novos cultivos e de novas técnicas de produção agrícola?

O fato é que estamos diante de um desafio que veio para ficar. Dessa forma, mais que rezar para São Pedro mandar chuvas, é preciso somar forças e promover investimentos que possibilitem um convívio adequado com a estiagem, capaz de reduzir os efeitos, as perdas e prejuízos econômicos e na produção local que ela provoca.

Em relação ao dever de casa dos produtores, em conversa que tive com especialistas, os mesmos apontam a necessidade da preservação de técnicas que ajudam a armazenar a água no solo, a exemplo das curvas de nível. Eles também alertam que a chegada de produtores oriundos de outras regiões do estado, dedicados a cultivos até então pouco difundidos no município, representa um ganho, porém requer dos mesmos um conhecimento mais aprofundado sobre as características do solo e do clima do município, bem como o uso de técnicas produtivas que contribuam para preservar a água no solo.

A administração municipal está atenta a esse desafio e vem fazendo a sua parte. Com o apoio da Funasa, recentemente a prefeitura entregou os sistemas coletivos de abastecimento de água nos assentamentos São Virgílio e Cerro Azul. Em breve, a comunidade do assentamento Santa Rita III também deverá ver a água jorrando nas torneiras das suas casas. Com apoio da EMATER e a parceria com o governo do estado e do Consórcio Extremo Sul, Herval é um dos municípios da região que mais investe em programas de açudagem e na abertura de bebedouros para dessedentação animal. Para ir mais longe no armazenamento de água nas propriedades e comunidades rurais, dentro do Programa Avançar da gestão estadual, o município foi contemplado com mais doze açudes e três poços artesianos, sendo um na Vila Basílio, outro no assentamento Nova Herval e um terceiro no assentamento 18 de Maio.

Para atender a situação emergencial decretada em janeiro desse ano, o município solicitou à Defesa Civil Nacional recursos para a contratação de horas máquinas, a aquisição de caixas d’água e cestas básicas. Do pedido encaminhado, foi liberado o valor de R$ 148.520,00 que serão utilizados na compra de cestas básicas para distribuição aos pequenos produtores atingidos pela estiagem, medida que também poderá beneficiar o comércio local.

A estiagem é um desafio de todos nós. O município sozinho não consegue enfrentar essa demanda e precisa do apoio e do aporte de recursos dos demais entes federados, além do esforço dos próprios produtores, no sentido de assegurar ações concretas e continuadas, que possam ir além da resposta emergencial. Mais que nunca, a ordem é armazenar água nas propriedades rurais e essa iniciativa precisa fazer parte de uma agenda permanente e de Estado. Isto é, vai muito além da questão local ou da pauta de um único governo. Todos são importantes nessa empreitada e a hora é agora.

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
x

Veja Também

Herval na vanguarda

Recentemente estive em Santa Catarina durante as ...

%d blogueiros gostam disto: