Governador recebe R$ 7 milhões para reforçar o Auxílio Emergencial Gaúcho

Um dia após abrir o processo de consulta ao Auxílio Emergencial Gaúcho, o governo do Estado recebeu oficialmente, na tarde de ontem, da Assembleia Legislativa, o repasse de R$ 7 milhões que compõe os R$ 107 milhões que serão pagos na forma de subsídio a trabalhadores e empresas dos setores mais afetados pelas restrições impostas pela pandemia.

A formalização do repasse ocorreu na Assembleia juntamente com a sanção de 15 projetos de lei de autoria dos deputados estaduais.

“Agradecemos a disposição do parlamento gaúcho de, mais uma vez, ao fazer esse gesto, a partir do seu compromisso com a economia no exercício das suas atividades, beneficiar diretamente a população, como é agora com o Auxílio Emergencial, especialmente com a inclusão do setor de eventos, para mitigar os impactos das medidas de restrição”, afirmou o governador Eduardo Leite.

Demandado especialmente pelos deputados, o Executivo desenvolveu o projeto do auxílio que, em um primeiro momento, contemplava trabalhadores e empresas dos setores de alimentação e alojamento, além de mulheres chefe de família. Com a disponibilização dos R$ 7 milhões, a própria Assembleia incluiu por emenda, na aprovação por unanimidade do Projeto de Lei 65/2021, o setor de eventos.

O PL foi sancionado há um mês pelo governador, tornando-se a Lei 15.604 e, na quarta-feira (12/5), passou a disponibilizar para as chefes de família em situação de vulnerabilidade social uma ferramenta de consulta on-line na qual é possível verificar se a pessoa está apta a receber Auxílio Emergencial Gaúcho.

As mães que se enquadram nessa situação vão receber parcela única de R$ 800, via ordem de pagamento no Banrisul. A data para início dos pagamentos é 17 de maio. O total estimado é de R$ 6.528.800.

O acesso para os demais públicos beneficiados está sendo operacionalizado pelo governo do Estado. Informações sobre cadastro e formas de receber os pagamentos serão divulgadas ao longo deste mês de maio. A ideia é de que o pagamento seja feito em duas parcelas de R$ 1 mil cada para empresas do Simples e de R$ 400 cada parcela para microempreendedores individuais e desempregados.

“Não vamos resolver o problema de todos, mas, certamente, vamos mitigar os prejuízos causados pela pandemia. Sendo que as parcelas podem parecer pouco para quem recebe, mas é muito para quem paga. E, ao fim, são R$ 107 milhões, fruto de esforço do Executivo e do Legislativo, que serão injetados na economia do Estado, ajudando a todos nesta crise coletiva”, destacou o presidente da Assembleia, deputado Gabriel Souza.

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
x

Veja Também

Google vai distribuir 500 mil bolsas de estudos para cursos em tecnologia; veja como se candidatar

O Google anunciou em junho que distribuirá ...

%d blogueiros gostam disto: