Governo federal corta 98% do orçamento para habitação

As ações realizadas em cada Estado para a promoção das políticas públicas pautou reunião do Fórum Nacional de Secretários de Habitação e Desenvolvimento Urbano. Com a presença do secretário estadual de Obras e Habitação, José Stédile, que é vice-presidente do colegiado, a atividade reuniu representantes de 23 estados e do Distrito Federal. Também em pauta o impacto causado pelo corte orçamentário do governo federal que dificulta a construção de moradias para famílias de baixa renda no país.

Para viabilizar a sanção do Orçamento de 2021, o presidente Jair Bolsonaro realizou o corte, no mês de abril, de mais de 98% dos recursos destinados ao Fundo de Arrendamento Residencial (FAR), que financia as obras da faixa 1 do antigo Minha Casa Minha Vida, atualmente chamado de Casa Verde e Amarela.

“Estamos solicitando uma agenda no Ministério do Desenvolvimento Regional, em Brasília, para que uma delegação seja recebida e nossas pautas prioritárias sejam ouvidas”, destacou o secretário de Habitação de São Paulo, Flavio Amary, que é presidente do Fórum. “Esperávamos mais recursos e mais atenção do governo federal em relação à política nacional de habitação”, complementou Stédile, acompanhado da diretora de Regularização Fundiária e Reassentamento da SOP, Letícia Gomes.

O titular da SOP também citou, na reunião ocorrida na segunda-feira (17/05), algumas ações lideradas pela pasta em diversas regiões do Estado, com destaque para o Programa Nenhuma Casa Sem Banheiro que atenderá 11 mil famílias na sua primeira etapa, bem como a contratação de serviços de topografia e laudos técnicos ambientais na capital e na Região Metropolitana. O trabalho fornecerá elementos para a elaboração de projetos visando a regularização fundiária de 73 hectares, beneficiando mais de 10 mil pessoas.

Sem o aporte do governo federal, a “criatividade” é cada vez mais necessária para garantir ações concretas à população, é o que defende o diretor de Habitação da SOP, Edilson Marques. “O fórum é essencial para conhecermos ações, projetos e realidades que nos ajudem a aperfeiçoar a gestão no RS”, disse, sugerindo que as Parcerias Público Privadas (PPP’s) e debates sobre o Aluguel Social, que é uma das principais ações lideradas pelo Dehab-RS, possam integrar as temáticas dos próximos encontros.

Saiba mais

Sobre o corte do governo federal para as políticas de habitação, orçamento inicialmente previsto pelo Congresso, de R$ 1,540 bilhão, foi praticamente zerado, chegando a R$ 27 milhões — uma redução de R$ 1,513 bilhão, ou 98,2%. O corte gigantesco acontece justamente na faixa do programa voltada às famílias de baixa renda, que ganham até R$ 1,8 mil.

Texto e foto: Saul Teixeira
Ascom SOP/RS

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
x

Veja Também

Herval ganhará pista de Veloterra

A Administração Municipal e a Associação Hervalense ...

%d blogueiros gostam disto: