Nelson Teich pede exoneração do Ministério da Saúde após menos de um mês

O ministro da Saúde, Nelson Teich, pediu exoneração da pasta nesta sexta-feira (15) após ter sido convocado para uma reunião. Ele assumiu há menos de um mês, em 17 de abril, após a demissão de Luiz Henrique Mandetta. Segundo nota do Ministério da Saúde, uma coletiva de imprensa foi marcada para a tarde de hoje para tratar do assunto.

Teich chegou ao cargo de ministro da Saúde a partir de um desejo do presidente Jair Bolsonaro em modificar a ideia de isolamento social propagada pelo antecessor, Luiz Henrique Mandetta. O que se esperava era uma mudança drástica do discurso vindo da pasta. No entanto, não foi isso que aconteceu. Teich inclusive não defendeu o uso irrestrito da cloroquina, remédio citado por Bolsonaro como uma possível solução para evitar a contaminação pelo novo coronavírus. Nesta sexta, o presidente disse que irá alterar o protocolo para aplicação do medicamento em casos de Covid-19.

Um episódio que marcou o descompasso entre o presidente e o ministro foi quando Jair Bolsonaro decidiu publicar um decreto liberando academias e salões de beleza, tratando as atividades como essenciais. A medida ocorreu no final da tarde dessa terça-feira, justamente durante a coletiva de Teich sobre a pandemia. O ministro então foi pego de surpresa pela decisão quando questionado por um jornalista e negou que tenha participado da elaboração do decreto.

Pazuello ou Terra 

De acordo com fontes, o secretário executivo da pasta, general Eduardo Pazuello, foi convidado para substituir Teich. Ele assumirá a Pasta interinamente. O ex-ministro da Cidadania, Osmar Terra também é cotado, mas depende da resposta de Pazuello ao convite.

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
x

Veja Também

Vulcão na África não deve causar tsunami no Brasil, diz especialista

A história que uma provável erupção nas ...

%d blogueiros gostam disto: