O ministro da Educação, Abraham Weintraub, anuncia a sua saída do cargo

O ministro da Educação, Abraham Weintraub, comunicou nesta quinta-feira (18) a sua saída do cargo. O anúncio foi feito em um vídeo divulgado por Weintraub nas redes sociais. Nas imagens, ele aparece ao lado do presidente Jair Bolsonaro.

O agora ex-ministro afirmou que não irá comentar as causas da saída e disse que assumirá um cargo no Banco Mundial. “Sim, dessa vez é verdade. Eu estou saindo do MEC. Vou começar a transição agora. Nos próximos dias, passo o bastão ao ministro que vai ficar no meu lugar, interino ou definitivo. Neste momento, eu não quero discutir os motivos da minha saída. Não cabe. O importante é dizer que eu recebi o convite para ser o diretor de um banco. Eu já fui diretor de um banco no passado. Volto ao mesmo cargo, porém no Banco Mundial”, declarou.

No vídeo, gravado no Palácio do Planalto, Bolsonaro afirma que seus “compromissos de campanha continuam em pé”. “É um momento difícil. Todos os meus compromissos de campanha continuam em pé. E busco implementar da melhor maneira possível. A confiança você não compra, você adquire. Todos que estão nos ouvindo agora são maiores de idade e sabem o que o Brasil está passando. E o momento é de confiança. Jamais deixaremos de lutar pela liberdade. Eu faço o que povo quiser”, disse o presidente.

Weintraub assumiu o Ministério da Educação em abril de 2019, após a saída de Ricardo Vélez Rodríguez, e permaneceu no posto por 14 meses. No período, acumulou desafetos e disputas públicas com diversos grupos sociais.

Na reunião ministerial de 22 de abril, no Palácio do Planalto, Weintraub defendeu a prisão dos ministros do STF (Supremo Tribunal Federal), a quem chamou de “vagabundos”.

No último domingo (14), sem máscara, Weintraub se encontrou com manifestantes favoráveis ao governo na Esplanada dos Ministérios, que estava fechada por determinação do governo do Distrito Federal.

O nome do novo ministro da Educação ainda não foi anunciado pelo governo.

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
x

Veja Também

Com avanço da Covid-19, internações em leitos clínicos aumentam 91,5% no RS

O crescimento dos casos confirmados para Covid-19 ...

%d blogueiros gostam disto: