Polícia Civil prende pistoleiro de facção criminosa do Rio Grande do Sul

O principal executor de uma facção criminosa gaúcha, conhecida pela violência contra os rivais, foi preso pela Polícia Civil na madrugada desta sexta-feira em Santa Catarina. Vulgo Chucky, o pistoleiro, de 31 anos, foi localizado e detido pelos agentes da Delegacia de Capturas (DECAP) do Departamento Estadual de Investigações Criminais, em uma residência no bairro Brejaru, na cidade de Palhoça, na Grande Florianópolis.

O apelido é inspirado no personagem do filme Brinquedo Assassino, um boneco violento que mata as vítimas. A ação, sob comando do delegado Arthur Raldi, teve amparo judicial. O foragido chegou sob forte escolta no início desta manhã no Deic, em Porto Alegre, e está sendo encaminhado direto para o sistema prisional.

O titular da DECAP explicou que Chucky é “apontado como o coordenador de grande parte das execuções e tomadas de território” da organização criminosa. “Ele estava sendo procurado desde o ano de 2017, possuindo sete mandados de prisões preventivas expedidos em virtude de acusações de homicídios”, recordou o delegado Arthur Raldi. “Com extenso rol de antecedentes criminais, Chucky responde por mais de uma dezena de assassinatos, bem como por outros crimes como sequestro, participação em organização criminosa, tráfico de drogas, associação ao tráfico, roubo de veículo, roubo a estabelecimento comercial, extorsão, entre outros delitos”, destacou.

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
x

Veja Também

Ministério Público recorre de decisão que negou prisão de homem que matou cachorro em Rio Grande

O MP (Ministério Público) recorreu, no início ...

%d blogueiros gostam disto: