Prefeitos da Azonasul debatem tratamento precoce

A adoção de um “protocolo de atendimento precoce aos casos suspeitos de contaminação pelo novo coronavirus pautou a reunião da Associação dos Municípios da Zona Sul (Azonasul), promovida em meio virtual na manhã de ontem segunda-feira. O médico Luciano Zuffo, de Porto Alegre, apresentou seu estudo mostrando que a utilização das drogas pode ser uma estratégia para minimizar riscos de agravamento da doença.

Os prefeitos da região cogitaram a possibilidade de adesão a um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) para a adoção da profilaxia em seus municípios. O modelo será baseado, conforme a cláusula segunda da minuta do TAC, na nota informativa 9/2020 do Ministério da Saúde, que versa sobre “orientações para manuseio medicamentoso precoce de pacientes com diagnóstico da covid-19”.

Para pessoas com sintomas leves e sem necessidade de internação, o documento indica o uso de cloroquina, hidroxicloroquina e azitromicina no tratamento profilático da covid-19.
“Ainda há muita insegurança, faltam alguns pontos a serem esclarecidos. Vamos analisar criteriosamente o documento, porém, o uso dos remédios precocemente vai depender única e exclusivamente da vontade do médico com a concordância, é obvio, do paciente. Nossa função como gestores públicos é deixar o tratamento disponível”, esclareceu o presidente da Azonasul, Luis Henrique Pereira da Silva, prefeito de Arroio Grande.
AMPARO – O advogado Gladimir Chiele, que oferece consultoria em Direito Público às prefeituras , adiantou que existem duas possibilidades: esperar o envio das remessas pelo Ministério da Saúde ou providenciar compras pelos municípios. “ As prefeituras que tiverem interesse contarão com a parceria do Ministério Público Federal para formalizar as solicitações ao Ministério da Saúde”, disse.

A ampliação das orientações de uso da cloroquina foi formalizada pelo Ministério da Saúde em meados de junho, quando manteve sua indicação para uso precoce em casos de coronavírus e estendeu o receituário para gestantes, crianças e adolescentes.

Fonte: Azonasul

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
x

Veja Também

Ministério Público recorre de decisão que negou prisão de homem que matou cachorro em Rio Grande

O MP (Ministério Público) recorreu, no início ...

%d blogueiros gostam disto: