PRF divulga balanço da Operação Independência 2020 no Rio Grande do Sul

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) finalizou na segunda-feira (7) a Operação Independência 2020. No Rio Grande do Sul, o feriado prolongado foi marcado por pequeno aumento do fluxo, reforço do policiamento e chuva.

Ao longo das 78 horas de operação, marcado por chuvas e pequeno aumento de fluxo, que não chegou a causar filas ou grandes congestionamentos, a PRF reforçou o policiamento nas rodovias gaúchas.

A fiscalização foi focada nos comportamentos mais associados a acidentes graves. Dos 1.754 condutores fiscalizados, 53 foram autuados por infrações relacionadas à embriaguez ao volante, e não puderam seguir dirigindo. Durante as rondas e operações, os policiais autuaram 241 condutores que realizaram ultrapassagem indevida, conduta causadora de boa parte dos acidentes graves em rodovias com pista simples.

Apesar dos esforços policiais, as pistas molhadas e o comportamento do condutor contribuíram para que duas pessoas perdessem a vida e outras 64 ficassem feridas nos 36 acidentes com mortes ou lesões que ocorreram no período nas rodovias gaúchas. Em 2019, o feriado da Independência ocorreu durante o sábado, não havendo operação especial, portanto, não há dados comparativos do fim de semana prolongado.

No combate ao crime, a PRF seguiu direcionando as abordagens com base nas informações do serviço de inteligência, o que contribuiu para a prisão de 27 pessoas, sendo oito delas por crimes envolvendo tráfico de drogas, contrabando ou descaminho.

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
x

Veja Também

Ministério Público recorre de decisão que negou prisão de homem que matou cachorro em Rio Grande

O MP (Ministério Público) recorreu, no início ...

%d blogueiros gostam disto: