Zona Sul receberá R$ 4,3 milhões de verba extra para Saúde

Cinco municípios da Zona Sul estão entre os contemplados com verba extra a ser repassada pelo Ministério da Saúde a hospitais filantrópicos e Santas Casas, para reforçar o enfrentamento à pandemia em todo o país. A região ficará com uma fatia que ultrapassa os R$ 4,3 milhões. A primeira das duas parcelas que chegarão ao Rio Grande do Sul foi liberada nesta segunda-feira (25), no valor de R$ 49 milhões. Ao todo, 108 instituições serão beneficiadas no Estado.

Os critérios para definir quais hospitais receberiam a verba adicional dividiram-se em duas partes. Integrar o Plano de Contingência Estadual e estar localizado em cidades que têm presídio foram os dois primeiros pontos da análise. Aspectos epidemiológicos de disseminação do vírus também foram avaliados para decidir como seriam partilhados os recursos, anunciados através da portaria federal 1393.

“É um auxílio emergencial muito importante, visto que os hospitais precisam contratar novas equipes, adquirir Equipamentos de Proteção individual e medicações, além de, em alguns casos, ter que realizar pequenas adequações”, destacou a secretária estadual de Saúde, Arita Bergmann, em transmissão ao vivo.

Montante geral
Os repasses extras irão atingir os R$ 2 bilhões, para todo o Brasil. Nesta primeira etapa, o valor partilhado será de R$ 340 milhões.

Confira as instituições contempladas na região
* Canguçu – Hospital de Caridade: R$ 483.477,38
* Jaguarão – Santa Casa de Caridade: R$ 116.254,15
* Pelotas – Santa Casa de Misericórdia: R$ 906.520,08
– Hospital São Francisco de Paula (HUSFP-UCPel): R$ 395.639,13
– Beneficência Portuguesa: R$ 270.009,64
– Hospital Espírita: R$ 300.010,71
* Rio Grande – Santa Casa: R$ 1.485.685,69
– Hospital Psiquiátrico Vicença Maria da Fontoura Lopes: R$ 243.758,71
* Santa Vitória do Palmar – Santa Casa de Misericórdia: R$ 103.128,68

 Governo do Estado também efetua repasse
Os municípios gaúchos também receberam R$ 56,5 milhões, nesta segunda, para injetar na saúde pública. Do repasse efetuado pelo Governo do Estado, R$ 13,5 milhões correspondem à 12ª parcela da dívida acumulada de anos anteriores. A outra parte, de R$ 43 milhões, é referente ao pagamento mensal a programas municipais, como Estratégia Saúde da Família (ESF), Política Estadual de Incentivo para Qualificação da Atenção Básica (Pies) e Primeira Infância Melhor (PIM).

Em maio do ano passado, as pendências acumuladas com as prefeituras – entre 2014 e 2018 – alcançavam R$ 216 milhões. Após tratativas com a Federação das Associações de Municípios do Rio Grande do Sul (Famurs), que iniciaram em uma proposta de fracionar os atrasados em 36 vezes, o Governo acabou assumindo o compromisso de pagar em 16 parcelas. Agora, só restam quatro.

Texto: Michele Ferreira/Diário Popular

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
x

Veja Também

Vulcão na África não deve causar tsunami no Brasil, diz especialista

A história que uma provável erupção nas ...

%d blogueiros gostam disto: